agosto 13, 2007

Davi, meu neto, num momento de reflexão

6 comentários:

Bromélia Maria disse...

Duayer
Achei tão bela a photo que resolvi ilustrá-la com um poema que conheço:
"Eu quisera ocupar um canto silencioso no coração do mundo que é só do meu filhinho. Sei que esse mundo tem estrelas que conversam com ele e um céu que se inclina até seu rosto para diverti-lo com suas nuvens e arco-íris tolos.Aqueles que se fazem de mudos e parecem incapazes de mover-se, vêm arrastando-se até a janela dele com suas histórias e com bandejas abarrotadas de brinquedos brilhantes. Eu queria viajar pela estrada que atravessa o espírito de meu filhinho e ir além de todos os limites...Lá onde os mensageiros correm levando recados sem motivo entre os reinos dos reis sem história... Lá onde a Razão faz de suas leis papagaios de papel, e os solta, e a Verdade liberta o Fato de suas cadeias."

Bromélia Maria disse...

Essa poesia é do Rabindranath Tagore no livro Lua Crescente – tradução de Abgar Renault.
Um beijo

Silvia Chueire disse...

É isso, a fotografia merece mesmo um poema. O olhar dele é impressionante contra o reflexo da paisagem.

Beijos

Alfonsina disse...

Encanto de menino, neto de fadinha, ou será de bruxinha?

Fla disse...

e que reflexão.....lembra pai? desse dia? escorregou das pedras e foi, como se num escorrega, até a agua fria daquele pocinho cristalino...na volta...refletiu sem parar, pensou no susto e sorriu de novo...bjs

d disse...

Filho de faDINHA e neto de bruxão...rs